.arquivos

. Março 2012

. Novembro 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Abril 2009

. Janeiro 2009

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

Quarta-feira, 31 de Maio de 2006
...

Hoje, debato-me com esta ideia básica de príncipe apaixonado, que num momento solitário, questiona o mundo e entra na fase de uma corrente filosófica barata. A irresponsabilidade mental é a minha aliada nestes minutos de parvoíce.
Hoje, dou por mim tentando explicar a inquestionável explicação para o ‘amor’. Sim, estou amando com o natural fervor da paixão! Que bom! (Roam-se as bichas invejosas! Cuidado que a manicura está cara!) – Eu bem digo que hoje os meus neurónios estão ardendo em febre! – Na verdade, hoje penso em como o amor toca na nossa sensibilidade e desperta as mais impetuosas e pecadoras ideias que habitam em nós. È, nestes momentos, que me admiro observando as mais indiferentes imagens deste mundo. É, nestes momentos, que imagino o imaginável! Acreditem, é nestes momentos de amor, em que beijamos a descontracção e abraçamos a tranquilidade, que sabemos admirar a essência perfeita desta vida e reconhecemos os nossos verdadeiros sinais vitais. Entenda-se que hoje estou no mais ridículo do meu ‘eu’, mas se for ridículo amar, então, meus amigos, desejo que a minha vida mergulhe para sempre no mar dos ridículos. Estou a precisar de férias, ou será que concordas comigo? – Como é ridículo o amor!!!
publicado por Lover às 18:33
link do post | comentar | favorito
15 comentários:
De Anónimo a 1 de Junho de 2006 às 14:54
oi
De Lover a 1 de Junho de 2006 às 14:58
Oi, quem serás? Pra próxima deixa identificação!

Comentar post

.pesquisar