8 comentários:
De Leonardo a 24 de Maio de 2006 às 11:25
Ola ! Gostei muito de ler o que esta neste blog! Tens uma forma mt particular de escrever onde evidencias uma excelente cultura linguista e sabes dar "amor" as palavras! Tb vejo pelas tuas palavras que es algum apaixonado por isso te desejo as maiores felicidades do mundo e que a vida te continue a sorrir. Abraço deste Ilustre desconhecido que AMOU a tua forma de escrever e mais uma vez parabéns
De Pandora a 22 de Maio de 2006 às 23:06
Muito bonito o testemunho... Como não existe ninguém que nunca tenha esperado é reconfortante saber que existe quem se encontre :)
De tesouromio a 22 de Maio de 2006 às 14:38
Por vezes os kilometros percorridos levam à busca de um amor sem fim... cada vez que visito este teu cantinho fico mais admirado pela maneira do teu viver
De Ba a 22 de Maio de 2006 às 14:18
Boa tarde estive a ler o teu depoimento tao sincero e gostei mt de ter passado por ca.Espero k vivas ao maximo este teu amor tao fantastico.Sou a Ba e vou passar por ca para te poder conhecer melhor um bj e boa sorte.Um dia vou fazer um blog para poder mos conversar.
A ti ao meu amigo gaybriel desejo tuddo de bom pois voces um dia tiveram CORAGEM
De maresiasuave a 22 de Maio de 2006 às 14:08
Ola...mais uma vez passei pelo teu cantinho e...adorei!
Palavras para que??? se esse AMOR á tão sólido, tão forte!
Gosto de vos sentir assim!
Um beijo cheio de sabor a Maresi@
De maresiasuave a 22 de Maio de 2006 às 14:08
Ola...mais uma vez passei pelo teu cantinho e...adorei!
Palavras para que??? se esse AMOR á tão sólido, tão forte!
Gosto de vos sentir assim!
Um beijo cheio de sabor a Maresi@
De Gaybriel a 22 de Maio de 2006 às 13:13
Para quê estar sempre a bater na mesma tecla, vcs já sabem o que penso!
Deixo-te Lover um poema k me enviaram do Pablo Neruda e que a mim me diz imenso...
ESTAR VIVO!

Morre lentamente quem não viaja,
quem não lê, quem não ouve música,
quem destrói o seu amor próprio,
quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma escravo do hábito,
repetindo todos os dias o mesmo trajecto,
quem não muda as marcas no supermercado,
não arrisca vestir uma cor nova,
não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem evita uma paixão,
quem prefere o "preto no branco" e os "pontos nos is"
a um turbilhão de emoções indomáveis,
justamente as que resgatam brilho nos olhos,
sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no
trabalho,
quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho,
quem não se permite, uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da
chuva incessante, desistindo de um projecto antes de iniciá-lo,
não perguntando sobre um assunto que desconhece
e não respondendo quando lhe indagam o que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo
exige um esforço muito maior do que o simples acto de respirar.
Estejamos vivos, então!

Um abraço enorme!
De silêncios a 21 de Maio de 2006 às 23:32
Pois é meu amor, mais um fim de semana que passou mas depressa terminou.
Mais virão, iguais, melhores ou piores.
Mas será o nosso momento, a nossa privacidade.
O nosso amor finalmente junto a 100%.
Cada vez que me tocas vibro com a tua essência o teu ser.
Cada beijo teu adoça-me a boca e alimenta a minha fome, fome pelo teu amor fome pelo teu carinho.
Cada abraço matinal cada abraço a meio da noite, a qualquer hora que seja é bom demais para ser verdade, sinto segurança nos teus braços sinto o carinho do teu amor.
Tudo em ti é belo tudo em ti é verdadeiro.
Amo-te muito meu amor nao te quero perder nunca.
Para sempre contigo para sempre serás o meu amor...

Comentar post